As vendas no comércio varejista tiveram uma queda de 6,3% no mês de outubro, quando comparada com o mesmo período em 2014, segundo o relatório MasterCard SpendingPulse.

Quatro dos sete setores considerados na pesquisa tiveram desempenho acima do índice: supermercado, materiais de construção, artigos farmacêuticos e artigos domésticos/pessoais.

Destes setores, somente os dois últimos tiveram variação positiva. Porém os segmentos de roupas, móveis/eletrônicos e combustíveis ficaram abaixo da média geral.

Segundo a MasterCard, o setor de móveis e eletrônicos foi o que teve a maior queda em toda a sua série histórica, iniciada em 2009.

“O ambiente econômico do Brasil ainda enfrenta enormes desafios e continua a deteriorar-se, com altas taxas de juros, inflação elevada e uma desaceleração do crescimento da massa salarial, que impacta na confiança do consumidor”, afirma Kamalesh Rao, diretor de pesquisa econômica na MasterCard Advisors.

Kamalesh considera também que as vendas no varejo devem continuar caindo pelo menos até o final deste ano.

O dia das crianças, em outubro, não teve aumento das vendas e ainda reduziu o número de dias úteis em relação ao ano passado, o que foi ainda mais prejudicial para as comparações em relação ao período.

Ao verificar a divisão geográfica, houve queda em todas as regiões. Mostrando a retração mais acentuada registrada no Centro-Oeste (-8,0%), seguida do Norte (-7,6%), Sul (-6,9%), Sudeste (-6,2%) e Nordeste (-4,9%).

Em relação as vendas online, tiveram crescimento anual de 2,9% em outubro, desacelerando fortemente em relação à média do 3° trimestre, de 11,8%.

Os setores de móveis, eletrônicos, vestuário e farmácia tiveram desempenho acima da média do comércio eletrônico. Em contrapartida o segmento de hobby/livraria ficou abaixo desse patamar.

Nota: o SpendingPulse é um indicador macroeconômico que informa sobre gastos no varejo nacional e o desempenho do consumo.

O relatório é baseado nas atividades de vendas na rede de pagamentos MasterCard, juntamente com as estimativas para todas as outras formas de pagamento, incluindo dinheiro e cheque.

O relatório, bem como as previsões de tendência de gastos não refletem ou se relacionam com o desempenho operacional e financeiro da MasterCard.

Fonte: Exame.